quinta-feira, 15 de abril de 2010

Os 38 anos da base aérea de Anápolis

Publicado na edição de 15/04/2010 do jornal Diário da Manhã

Com a interiorização da Capital Federal em abril de 1960, o Ministério da Aeronáutica iniciou estudos para implantação de uma unidade de defesa do espaço aéreo do Planalto Central. Nos levantamentos geográficos e técnicos feitos por especialistas da área, definiu-se que a instalação dessa nova unidade militar seria em solo goiano. Planaltina de Goiás e Anápolis foram classificadas para estudos preliminares. Por sua situação geográfica privilegiada: entroncamento de rodovias que cortam todo território nacional e centro do maior contingente populacional, num raio de mil quilômetros, Anápolis foi a escolhida.

Em 1968, o Tenente Coronel Aviador Lauro Ney Menezes, integrante do gabinete do Ministro da Aeronáutica, ficou sabendo que era excepcional a localização do aeroporto de Anápolis. Ponto ideal para instalação da nova Unidade da Força Aérea Brasileira. Relatório elaborado pelo Tenente Brigadeiro do Ar, Marcus Herndl, oficial responsável pela escolha da área em que a unidade militar seria edificada, ressaltou a potencialidade de Anápolis e localização estratégica do aeroporto local, que já havia sido palco, numa madrugada chuvosa da década de 50, da histórica assinatura, pelo presidente Juscelino Kubitschek, da mensagem criando a Nova Capital.

Em seu relatório ao comando da Aeronáutica o Tenente Brigadeiro do Ar, Marcus Herndl, ressalta: “Chamou-me atenção a subutilização do aeroporto de Anápolis, no estado de quase abandono; de apreciável infraestrutura aeroportuária, localizado próximo à Capital Federal... Entroncamento rodoviário, servido de ferrovia, em região de importância econômica...”

Sem recursos suficientes para ampliação e reforço da pista de 2 para 3 mil metros, o que faria a Base Aérea mais próxima da rodovia Anápolis-Goiânia e o exagerado ruído causado pelo caça inglês, Lightning MK 55, utilizado pela Força Aérea Brasileira naquela época, o oficial encarregado dos estudos para implantação da Base Aérea de Anápolis, excluiu o aeroporto. A área próxima ao aeroporto já era densamente habitada.

Em abril de 1970, foi definido o local para a instalação da Primeira Ala de Defesa Aérea, próxima à Br 153 – Anápolis-Belém e Br 414, Anápolis-Corumbá. Em abril de 70, a Força Aérea Brasileira decide comprar o caça supersônico francês F-103 Mirage. No dia 15 de setembro de 1970, foi assinado o decreto criando a Primeira Ala de Defesa Aérea. Em outubro daquele ano, representantes do Ministério da Aeronáutica visitam o prefeito de Anápolis Henrique Santillo e o governador de Goiás, Otávio Lage de Siqueira, comunicando oficialmente a instalação futura da Unidade da Força Aérea em Anápolis. Em abril de 1972, o Major Aviador Piragibe Fleury Curado assume o Comando da Unidade da Força Aérea em Anápolis. No dia 23 de agosto, o Brigadeiro do Ar Paulo Costa inaugura a pista da Base Aérea pilotando um C-45. No dia 1° de outubro de 1972, chega a Anápolis o primeiro Mirage F-103. No dia 23 de outubro do mesmo ano, assume o comando da Base Aérea o Coronel Aviador Antônio Henrique Alves. Em abril de 1973, seis aviões Mirage F-103 fazem o primeiro voo sobre Brasília, sob o comando do Coronel Antônio Henrique.

A parceria dos militares integrantes da Base Aérea com a sociedade anapolina sempre foi excelente. Oficiais, sub-oficiais e soldados participam intensamente dessa integração realizando grandes projetos comunitários, esportivos e sociais. Campanhas de saúde pública são constantemente realizadas em parceria com o poder público e clubes de serviço. Todos os anos os portões da Base Aérea são abertos ao público, recebendo milhares de visitantes. A mais importante e movimentada festa junina do município acontece anualmente na Base Aérea, numa confraternização contagiante. Milhares de crianças dos bairros periféricos participam dos programas esportivos sob o comando de militares, geralmente mulheres, preparadas para essa integração.

Nem mesmo a manobra política pretextando a presença da Base Aérea em Anápolis para cassar o mandato do prefeito José Batista Júnior, em 28 de agosto de 1973 e transformar o município em Área de Segurança Nacional, pelo AI-5, tirando do povo o direito de eleger seu prefeito por 12 anos, dificultou a convivência harmoniosa dos anapolinos e militares da Base Aérea. Em momento algum, se envolveram em questões políticas partidárias.

A Base Aérea de Anápolis, que antes tinha como função exclusiva proteger o espaço aéreo da Capital Federal e a região central do Brasil, passou a desempenhar importante trabalho de vigilância da Amazônia Legal, ao abrigar o 2º GAV, com objetivo de promover o desenvolvimento sustentável da Amazônia.

Ao completar seus 38 anos de existência a Base Aérea de Anápolis é comandada pelo Coronel Aviador Alcides Teixeira Barbacovi. Motivado e cheio de projetos inovadores no campo da defesa aérea e envolvimento total com a sociedade civil, lidera seus 1.472 integrantes, com idealismo, competência e dedicação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário